Pular para o conteúdo principal

Integridade - por Estêvão Soares




“Quem anda com integridade anda com segurança, mas quem segue veredas tortuosas será descoberto.” Prov. 10.9

Iniciamos aqui uma jornada onde humildemente convido todos a reflexão semanal sobre temas muito importantes para a vida diária e prática do cristão. Gostaríamos de pensar um pouco neste tempo sobre temas como espiritualidade, trabalho, vocação, chamado, entre outros a estes relacionados.

E, neste sábado, onde finaliza-se mais uma semana em que a grande mídia usou recortes de falas da Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos para atacar o Governo Federal, recém empossado, e, principalmente, a postura cristã dos seus componentes, especialmente deste Ministério, não poderíamos deixar a oportunidade de tentar interpretar essa postura nacional de separação entre o trabalho e a espiritualidade do brasileiros, no que tange  ao cristianismo.

Vivemos em um país que se diz laico, onde diz-se há separação entre o Estado e a igreja, e, quanto a isso, concordamos plenamente e não temos dúvidas que deve ser assim, mas, o que nos preocupa é a negação hipócrita do ser humano como ser espiritual, como ser que possui opiniões individuais, como ser que pode expressar-se.

Ministra Damares Alves
Foto: Valter Campanato/ABr

A evolução tecnológica e informacional tem transformado o mundo e a mídia dando este tratamento de massa aos seres humanos, encarando-os sempre como coletividade. No entanto, percebemos ao longo da nossa jornada nesta terra que não é assim, pois, cada ser é individual, cada indivíduo tem um DNA, cada ser humano tem uma digital. Portanto, apesar da multidão, não se deve esquecer que fomos criados únicos e para nos relacionar um a um.

Jesus, nos mostrou claramente que isso é possível não deixando-se corromper com a massa, mesmo em uma multidão o apertando, Ele disse: alguém me tocou. Mesmo em meio a massa, ele saiu para orar com 3 amigos mais próximos. Mesmos, caminhando três anos com muitos, ele jantou apenas com 12 amigos antes da sua crucificação.

Então, quando a grande mídia tenta excluir a espiritualidade ou as opiniões do indivíduo sobre temas específicos enquanto ocupante de determinado cargo, enquanto trabalhador, servidor, na verdade, cria-se um ambiente de hipocrisia e mutilação, onde o indivíduo é tratado como apenas força de trabalho mecânica, desprovido de mente, de pensamento, desprovido de emoções, desprovido de opiniões, desprovido de corpo, alma e espírito.

O trabalho não foi estabelecido por Deus para mutilar o homem, ou retira-lhes direitos, até mesmo, e isso chega a ser cômico, como tenta-se retirar da Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, um direito consagrado em nossa Constituição, e até mesmo na Declaração Universal da ONU, em que no seu 9º artigo diz: Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão. 

Posto isto, o sábio escritor dos Provérbios, afirma que o ser humano deve ser íntegro, pois assim, andará com segurança. Pelo contrário, aquele que caminha sem integridade será descoberto. E o que isso tem a ver?

O indivíduo que anda nas sombras, escondendo suas opiniões, separando sua espiritualidade entre igreja e trabalho, mutilando suas opiniões, será só mais um na multidão que aperta Jesus, sempre será só mais um na multidão sem autoestima, será só mais um na multidão de pessoas sem rosto, sem digital, sem marca, manobrados pelas Fake News e opiniões alheias.

O cristão tem um chamado para ser íntegro. O homem foi criado a imagem e semelhança de Deus para ser inteiro, completo. Isso quer dizer, conforme o Aurélio, ser reto e imparcial. Desta forma, não é o cargo que ocupa ou as opiniões que expressa que devem nortear suas decisões e relações no trabalho, a sua espiritualidade deve ser capaz de a cada dia diminuir o abismo existente entre o discurso e a prática. Ocupar um cargo ou desenvolver um trabalho não deve ser pretexto para impor suas opiniões, mas, ser inteiro, completo, imparcial, inatacável, lhe dará o suporte, quer no trabalho ou em qualquer lugar, para viver em segurança, pois, como diz o sábio, os que não são íntegros, mais cedo ou mais tarde serão descobertos.

Vivemos em um Brasil mergulhado em escândalos de corrupção sendo descobertos a cada dia, onde aqueles que não expressam suas opiniões por ocupar determinados cargos, ou opinam junto com a massa, tem sido descoberto pelos seus caminhos tortuosos, ou melhor, pelas suas ações parciais, fraudulentas e corruptas.

Neste ponto, como administrador, entendo que a postura e as ações de um empregado no seu trabalho dizem muito mais do que suas palavras. Assim como as políticas empregadas por uma empresa nas relações comerciais dizem muito mais do que suas declarações negativas e seus relatórios financeiros. Portanto, não deixemos que as pessoas e as opiniões alheias mutilem nossa espiritualidade em nosso trabalho.

Nós somos inteiros, criado para viver inteiros, formados por corpo, alma e espírito para sermos íntegros, implantando onde quer que estejamos uma cultura de justiça, paz e alegria no Espírito Santo, realizando o nosso melhor com excelência, pois, para Deus o fazemos. Ser íntegro significa ser inteiro para os outros, ser completos em nossas relações com o outro, ser verdadeiros em nossas opiniões, mesmo que elas não satisfaçam a todos, mas se estiverem coerentes com a Bíblia, sejamos íntegros.

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos. A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores. Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.