Pular para o conteúdo principal

Evangélicos promovem ação cidadã no sertão de Pernambuco

A senhora Dalila Costa tem 69 anos de idade. Ela veio passar uns dias na casa de parentes no município de Salgueiro, sertão central de Pernambuco – a mais de 500 quilômetros do Recife. Neste período, ficou sabendo de uma movimentação diferente no município. “Eu nunca havia visto uma atividade como esta. Então, decidi conhecer. Fiz uma consulta no médico, que mostrou que minha pressão estava alta e me receitou uns remédios. Agora, vou aproveitar e ficar ainda mais bonita e escovar meus cabelos”, conta, sorridente.

Ela é uma das 400 pessoas atendidas pelo projeto Fé em Ação, desenvolvido pela Igreja Congregacional Vale da Bênção. A ação social ofereceu gratuitamente serviços como corte de cabelo, assessoria jurídica, enfermagem, assistência social, consulta médica e emissão de documentos durante toda a terça-feira, dia 15. A proposta envolveu mais de 70 voluntários, vindos de cidades de Pernambuco, da Paraíba, da Bahia e até mesmo de outros países, como Guiné Bissau e Paquistão. Com o lema ‘Ele me deu vida’, a ideia é apresentar o amor cristão de forma prática, interferindo positivamente no cotidiano de comunidades carentes.

O objetivo do projeto sensibilizou profissionais de diversas áreas de atuação. Um deles é a enfermeira Nayara Sousa, que também é professora universitária. Mesmo morando em Caruaru-PE, ela decidiu viajar por mais de cinco horas (cerca de 300 quilômetros de distância) para utilizar seu talento profissional em prol do próximo. “Nas salas de aula, oriento meus alunos ao aspecto humanitário da profissão, e procuro apresentar este discurso na prática, rompendo as barreiras e indo além dos consultórios para atender a pessoas que têm o acesso difícil para determinados serviços de saúde”, testifica.

Semelhantemente, o médico Jorge Lima destaca a importância de participar de atividades assim. “Esta ação social não é um ato em si mesmo, mas representa um estilo de vida que se baseia na partilha dos conhecimentos e no serviço ao próximo. É muito gratificante participar de algo tão grandioso!”, exclama.

A ação, encabeçada pela Igreja, contou com o apoio da Secretaria de Defesa Social do estado de Pernambuco, bem como da Prefeitura do Município de Salgueiro e do deputado estadual eleito Delegado Lessa. De certa forma, representa o início das atividades da Igreja Congregacional Vale da Bênção na cidade sertaneja, que está implementando uma congregação no local.

Jovens fizeram apresentações artísticas sobre o Evangelho.

Populares receberam assessoria de advogados.

Serviços de saúde foram muito requisitados.

Crianças tiveram momentos de contação de histórias bíblicas e recreação.

Profissionais prestaram serviços de corte de cabelo.


O líder do trabalho local é o pastor Irineu Evangelista. Segundo ele, o maior desafio da comunidade religiosa é prosseguir promovendo o bem comum. “O povo de Salgueiro é bastante acolhedor e atencioso. Nosso intuito é servir a esta população atendendo ao convite do Senhor Jesus estabelecendo uma Igreja que se preocupe tanto com o bem-estar social quanto com o bem-estar espiritual dos cidadãos”, salienta.

Para o pastor Ismael Ornilo, da 2ª IEC Vale da Bênção, esta forma de atuação está em consonância com a missão da igreja, sob uma ótica neotestamentária. “Acredito que a fé sem obras é mortas, por isso o trabalho da igreja deve visar integralmente ao ser humano, estabelecendo serviços em prol do bem da comunidade”, declara.

E, pelo visto, a comunidade receberá muito bem os serviços que continuarão sendo prestados pela instituição religiosa naquele local. É como afirmou a dona-de-casa Maria Nascimento, 42, que visitou a ação social com seis filhos – cinco no braço e um no ventre: “Precisamos de ações assim direto”. E a nossa oração é que os trabalhos da igreja se desenvolvam ainda mais, para que você e seus filhos sonhem e vivam um futuro melhor, Dona Maria.  


Texto e fotos: Jénerson Alves

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid