Pular para o conteúdo principal

Ceeli oferece minicurso gratuito de Libras com 80 vagas em Caruaru

O Centro Educacional de Ensino em Libras (Ceeli) comemora 7 anos de fundação neste mês de janeiro. Para celebrar o aniversário, a Instituição está oferecendo 80 vagas gratuitas para o minicurso “Introdução à Língua Brasileira de Sinais (Libras)”, em Caruaru no Agreste pernambucano.

 

O minicurso de Libras é direcionado para qualquer pessoa interessada em aprender noções básicas para se comunicar com pessoas surdas.  Profissionais da área de educação e estudantes são especialmente indicados para participar. 

A inscrição gratuita começa a partir desta segunda-feira (21) exclusivamente pelo site www.ceeli.com.br o prazo termina nesta sexta-feira (25). Para se inscrever, os interessados precisam preencher todos os campos apresentados no endereço eletrônico; escolher o dia disponível da aula e aguardar a confirmação. 

O minicurso tem direito ao certificado. As turmas serão divididas, a primeira será de segunda a quarta-feira (28 a 30 de janeiro) das 19h30 às 21h30 e a segunda turma será no sábado (02 de fevereiro) das 9h às 16h. As aulas serão ministradas no Ceeli Caruaru por professores surdos e ouvintes.

Para quem deseja se aprofundar ainda mais na Libras, o Ceeli conta com cursos do nível básico ao avançado. As matrículas e mensalidades já podem ser feitas também pelo site www.ceeli.com.br . As aulas nesta modalidade se iniciam a partir de fevereiro em Caruaru e Limoeiro. 

O Ceeli fica localizado na Rua Benjamin Larena, nº 115, 1º andar, no Bairro Divinópolis, próximo ao INSS em Caruaru. Para mais informações através do contato: (81) 9 7308 – 3030 ou pelo e-mail: cursodelibras.caruaru@gmail.com e nas redes sociais @ceelibras (Facebook e Instagram).

SERVIÇO 

Minicurso: Introdução à Libras
Inscrição: www.ceeli.com.br 
Acesso: Gratuito
Prazo: Até sexta-feira (25/01)
Turmas 1 e 2: Segunda a quarta-feira (28 a 30 de janeiro) das 19h30 às 21h30 e no sábado (02 de fevereiro) das 9h às 16h. 
Endereço do Ceeli: Rua Benjamin Larena, nº 115, 1º andar, no Bairro Divinópolis, próximo ao INSS em Caruaru

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos. A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados. Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocup