Pular para o conteúdo principal

O evangelho produz transformação - por Mylena Macêdo

Imagem: Reprodução Pixabay

É possível acreditar que as coisas podem mudar para melhor. É isso o que acontece quando assiste-se ao filme espanhol "O Impossível" (2012), que conta a história de uma família que consegue se reencontrar após um tsunami durante as férias na Tailândia. Quando se trata de mudança de vida por causa do evangelho, para os cristãos a nova história passa a ser mais bonita.
A beleza espiritual vem do relacionamento entre o homem e Deus. Isso aconteceu com Rodolfo Abrantes, hoje cantor evangélico e ex-vocalista da banda Raimundos. Seu testemunho é carregado de cicatrizes que a droga, o vício e doenças deixaram, porém suas feridas foram curadas pelo sangue do Cordeiro a partir do momento em que ele percebeu que estava morrendo para o mundo. Recentemente, ele lançou novas músicas, algumas falam sobre a transformação do evangelho na sua vida.

 "Eu sei quem escolheu a gente, pra ser um corpo só, só quem me conheceu doente, vê como estou melhor assim, o tempo vem" - Dia Quente, Rodolfo Abrantes.

Assista

Há um versículo, em I Coríntios capítulo 10, versículo 12, que faz um alerta para os cristãos. O apóstolo Paulo diz: "Aquele, pois, que pensa estar em pé, veja que não caia". É pensando nisso que pode-se falar sobre o que aconteceu com a cantora Daniela Araújo, no ano passado. Mesmo com um vasto ministério musical, agenda lotada de shows, a cantora e produtora musical paulista parece que se perdeu no caminho. Em 2017, o mundo virtual traiu a carreira da cantora. Um áudio vazou na internet e nele Daniela Araújo aparentava implorar por drogas. Quem divulgou ou o porquê não importou para que o ministério dela sofresse drasticamente. Passados alguns meses, Daniela tem voltado a aparecer, lentamente e assim como Rodolfo Abrantes, a música parece ser a melhor maneira deles contarem suas histórias. A faixa "Ruídos", lançada esse ano, fala um pouco sobre esse episódio.

"Se todos me deixarem, comigo estarás, se me caluniarem, me protegerás. Tu me compreendes, sabe o que se passa em minha mente" - Ruídos, Daniela Araújo.

Assista

Em sequência ao capítulo 10 de Coríntios, diz: "Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar" (13). Deus é suficiente para transformar a vida dos homens, independente do que tenha acontecido, do "tamanho" do pecado. O perdão é para todos, basta permitir que Ele entre no coração e faça a verdadeira obra de mudança.


Mylena Macêdo é estudante de jornalismo

Comentários

  1. Ótima reflexão. Lembro-me do que deus fez na vida de Paulo de peserguidor do evangelho passou a ser perseguido por causa do evangelho.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A intolerância dos tolerantes e os confetes carnavalescos - por Amanda Rocha

A quarta-feira passou, mas as cinzas do carnaval deixaram um imensurável prejuízo, não apenas econômico graças aos diversos dias de inatividade industrial e comercial, não somente pelas grandes cifras de dinheiro público usado para distrair a população embalada por ritmos dançantes e letras chicletes ou pornográficas, enquanto hospitais e escolas funcionam em deploráveis condições. Contudo, diria mais, não unicamente pelo elevado índice de acidentes e mortes nas péssimas estradas. Pensando bem, qual o intuito em citar o elevado número de contágio de doenças sexualmente transmissíveis em relações desprotegidas durante esse período? De igual modo não se faz necessário referenciar a elevada despesa que o Sistema Único de Saúde terá por consequência do carnaval; tão pouco se faz cogente contabilizar o número de criminalidade que se eleva nesse período – assaltos, homicídios, latrocínios, tráfico; os casos de divórcios, de gravidez indesejada - que em parte culminará em abortos realizados …

Regime Militar e Movimentos Sociais, quem é o mocinho e quem é o vilão? - por Amanda Rocha

Desde a década de 70 o Brasil tem-se acrescido em números de movimentos sociais e sindicatos, suas origens datam em anos anteriores, mas sua efervescência dá-se no período de Regime Militar. Eivados da necessidade de luta de classes, esses movimentos disseminam que nasceram para combater o regime ditatorial vigente nas décadas de 60 e 70 no país, mas disfarçam o cerne de suas bases ideológicas, cuja finalidade é a imposição da ditadura do proletariado. Nascida na mente insana e nefasta de Karl Marx, essas utópicas soluções para o fim das desigualdades sociais e econômicas concretizaram-se em diversos países, e por onde passaram promoveram unicamente a igualdade da miséria. Dentre as tantas falácias que divulgam, mentem sobre a ordem dos fatos, uma vez que os movimentos não surgiram com o intuito de lutar pela democracia e findar o Regime Militar, há nessa afirmativa uma completa inversão, visto que o Regime Militar foi conclamado pela população e aprovado pelo Congresso, nessa época, …

Se o sol não brilhar, aproveite a sombra do dia nublado - por Davi Geffson

Já percebeu o quanto costumamos a reclamar? Se faz sol a gente reclama, se chove reclamamos do mesmo modo, na verdade, somos serescom anseios e desejos, mas precisamos entender que nada gira em torno de nós. É um conjunto, são vários humanos com os seus devaneios de “ser”. Achar que tudo gira em torno de nós, e por isso, deve ser do nosso jeito, é o mesmo que caminhar em uma esteira, você perderá peso, irá suar, vai se cansar, entretanto, continuará no mesmo lugar.


Tudo pode ser mais simples se ao invés de reclamarmos, impulsionarmos o sentido do “procure o que há de melhor”, em tudo iremos encontrar o lado positivo e o negativo, se assim não fosse, que chato seria. Não queremos nem muito, nem pouco, queremos balanceado, com equilíbrio, isso é o que mescla a nossa vida. Uma comida com muito sal é péssima, com pouco também, agora quando se coloca a quantidade ideal, huuuum, que delícia. Assim é a vida, nem tanto, nem pouco, mas o suficiente.
Diariamente, Deus nos concede o dia que nos fa…