Pular para o conteúdo principal

Forrozeiro Sebastian Silva fará apresentação em Luanda


Em sua 13ª edição, a Semana do Brasil desembarca em Luanda trazendo cores, sabores e ritmos brasileiros com gostinho de novidade. Neste ano, a jornada cultural, idealizada para recriar uma atmosfera do lado de lá do Atlântico, trará o “Arraiá Bem Brasil” agregado à sua programação. No período de 8 a 15 de setembro, a capital angolana recebe eventos diversos que farão lembrar música, gastronomia e cinema brasileiros, sem esquecer a já tradicional rodada de negócios propiciada pelo Fórum Económico. Como acontece a cada edição, a Aebran (Associação de Empresários e Executivos Brasileiros em Agola) promoverá, durante uma semana, uma programação tipicamente brasileira em tons de verde e amarelo. A presidente da instituição, Arlete Holmes, explica a essência do evento. “A Semana do Brasil acontece à volta da celebração da data nacional brasileira - 7 de setembro - data da independência do país. Dentre os objetivos da associação figuram a promoção de negócios e a realização de eventos que divulguem e promovam a cultura brasileira” revelou.



Quem integra o Quinteto Sanfônico do Brasil é o Caruaruense Sebastian Silva que faz sua segunda turnê fora do Brasil em menos de dois meses. Sebastian é cantor, compositor, instrumentista e parceiros de artistas como o Maestro Mozart Vieira, “Estou muito feliz por poder representar minha terra em solo Africano e o melhor levando nosso forró para o mundo, em julho na Europa e agora na África” disse feliz o artista. Sebastian toca ao lado de sanfoneiros como: Targino Gondin, Marquinhos Café, Gel Barbosa e Renan Mendes. A participação do Quintento também estimulará um ato solidário que acontece todos os anos contribuindo com uma instituição filantrópica em Luanda que atende crianças.

As comemorações das tradicionais festas juninas em solo angolano este ano foram transferidas para o mês de setembro. De acordo com Luiz Grosso, o 2º Arraiá Bem Brasil é outro dos destaques da atividade. “O Arraiá abre a semana com o tom do Forró nordestino, tocado na sanfona com a apresentação do Quinteto Sanfónico do Brasil, que acompanha e é liderado por Targino Gondim”, declara.

O sanfoneiro Targino Gondim esteve presente no primeiro Arraiá Bem Brasil, realizado pela Aebran em 2017, ao lado do também nordestino Raimundo Sodré. Os dois fizeram uma festa animadíssima que ficou na memória dos brasileiros e visitantes de todas as nacionalidades, que ainda desfrutaram de comidas e música típicas durante mais de 8 horas. Como na primeira edição, o Arraiá será realizado na Fortaleza de São Miguel e mais uma vez contará com comes e bebes e decoração especial, tudo no clima das festas juninas do Nordeste brasileiro. Luiz Grosso espera promover a interação. “O evento como um todo vai procurar agregar na sua maioria os brasileiros que estão em Angola, interagindo com os angolanos e demais povos cá estabelecidos. Esperamos uma grande participação dos brasileiros em todos os eventos programados para a Semana Brasil”, comentou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A intolerância dos tolerantes e os confetes carnavalescos - por Amanda Rocha

A quarta-feira passou, mas as cinzas do carnaval deixaram um imensurável prejuízo, não apenas econômico graças aos diversos dias de inatividade industrial e comercial, não somente pelas grandes cifras de dinheiro público usado para distrair a população embalada por ritmos dançantes e letras chicletes ou pornográficas, enquanto hospitais e escolas funcionam em deploráveis condições. Contudo, diria mais, não unicamente pelo elevado índice de acidentes e mortes nas péssimas estradas. Pensando bem, qual o intuito em citar o elevado número de contágio de doenças sexualmente transmissíveis em relações desprotegidas durante esse período? De igual modo não se faz necessário referenciar a elevada despesa que o Sistema Único de Saúde terá por consequência do carnaval; tão pouco se faz cogente contabilizar o número de criminalidade que se eleva nesse período – assaltos, homicídios, latrocínios, tráfico; os casos de divórcios, de gravidez indesejada - que em parte culminará em abortos realizados …

Regime Militar e Movimentos Sociais, quem é o mocinho e quem é o vilão? - por Amanda Rocha

Desde a década de 70 o Brasil tem-se acrescido em números de movimentos sociais e sindicatos, suas origens datam em anos anteriores, mas sua efervescência dá-se no período de Regime Militar. Eivados da necessidade de luta de classes, esses movimentos disseminam que nasceram para combater o regime ditatorial vigente nas décadas de 60 e 70 no país, mas disfarçam o cerne de suas bases ideológicas, cuja finalidade é a imposição da ditadura do proletariado. Nascida na mente insana e nefasta de Karl Marx, essas utópicas soluções para o fim das desigualdades sociais e econômicas concretizaram-se em diversos países, e por onde passaram promoveram unicamente a igualdade da miséria. Dentre as tantas falácias que divulgam, mentem sobre a ordem dos fatos, uma vez que os movimentos não surgiram com o intuito de lutar pela democracia e findar o Regime Militar, há nessa afirmativa uma completa inversão, visto que o Regime Militar foi conclamado pela população e aprovado pelo Congresso, nessa época, …

Se o sol não brilhar, aproveite a sombra do dia nublado - por Davi Geffson

Já percebeu o quanto costumamos a reclamar? Se faz sol a gente reclama, se chove reclamamos do mesmo modo, na verdade, somos serescom anseios e desejos, mas precisamos entender que nada gira em torno de nós. É um conjunto, são vários humanos com os seus devaneios de “ser”. Achar que tudo gira em torno de nós, e por isso, deve ser do nosso jeito, é o mesmo que caminhar em uma esteira, você perderá peso, irá suar, vai se cansar, entretanto, continuará no mesmo lugar.


Tudo pode ser mais simples se ao invés de reclamarmos, impulsionarmos o sentido do “procure o que há de melhor”, em tudo iremos encontrar o lado positivo e o negativo, se assim não fosse, que chato seria. Não queremos nem muito, nem pouco, queremos balanceado, com equilíbrio, isso é o que mescla a nossa vida. Uma comida com muito sal é péssima, com pouco também, agora quando se coloca a quantidade ideal, huuuum, que delícia. Assim é a vida, nem tanto, nem pouco, mas o suficiente.
Diariamente, Deus nos concede o dia que nos fa…