Pular para o conteúdo principal

Tema ‘Mulher macho? Não sinhô!’ provoca a discussão sobre papel da mulher cristã na comunidade - por Ray Santana /ACEV Brasil

No sertão da Paraíba, na Reserva Ecológica Verdes Pastos, localizada no município de São Mamede, 89 mulheres líderes de 16 denominações diferentes participaram da 1ª Edição do Encontro de Líderes Sertanejas, realizado do dia 17 ao dia 18 de agosto. As participantes vieram de comunidades urbanas e rurais, de 45 lugares diferentes.






A troca de experiências entre as participantes marcou o encontro com histórias de perseverança da proclamação do evangelho por mulheres que ainda enfrentam diariamente o preconceito e o machismo enraizado na região. Foi possível compartilhar as lutas ministeriais, na família e na comunidade enfrentadas por cada uma. Noelma Abílio Lopes, missionária em campos missionários de ciganos espera levar o que foi discutido no evento para as comunidades onde trabalha como forma de encorajar a transformação através do evangelho que destaca a importância do papel da mulher no seu contexto local. “Eu sei que ao chegar lá eu posso compartilhar essas experiências com elas, que podem ser motivadas a buscarem ser diferentes, a confiar mais em Deus e mais em si mesmas, saber que são capazes de ir além da vida que elas vivem hoje”, afirmou.

O propósito do encontro foi usar o ambiente de interação e descontração para intensificar a participação das mulheres e através disso promover o resgate da identidade, das emoções e dos sonhos da mulher sertaneja à luz da Bíblia, fazendo-as compreender o plano de Deus para cada uma delas, resgatando a beleza, sensibilidade, doçura e a sua valorização, como uma mulher forte, cheia de garra, mas acima de tudo obediente aos princípios cristão, como enfatizou a coordenadora do encontro, Flávia Pereira dos Santos.

Na programação, aconteceram rodas de conversas com a missionária Elizete Ryioko, da Igreja Aliança Internacional, a pastora Joana D'arc, da Igreja Nazareno e ex-delegada da mulher em Patos, e a missionária Elaine Araújo, da Igreja Independente Independente. Foi um momento de desabafo para as mulheres, onde puderam encontrar conforto e palavras de ânimo para as diversas situações colocadas em discussão. A psicóloga Francisca Klökner, de Londrina (PR), realizou uma palestra sobre o tema principal: 'Mulher macho? Não sinhô!', e o louvor regional foi ministrado pela missionária da ACEV Campina Grande – Catolé, Gleydice Belchior.

“Esse tema me chamou muito a atenção porque convida a mulher a se auto valorizar, a dar importância àquilo que o Senhor fala na Sua palavra, que somos cooperadoras do homem, ajudadora, esse é o nosso papel”, ressaltou a pastora da Igreja de Intermares, João Pessoa (PB), Rosângela Santos de Oliveira, com experiência na plantação de igrejas no sertão nordestino.

“Fica a certeza, a alegria e motivação de que o Encontro resultou em uma transformação de pensamento, externado na ânsia por novas atitudes de vidas restauradas e sonhos renovados”, afirmou Flávia. O Encontro aconteceu através da parceria entre a ACEV e a Tearfund, com o apoio da Comunidade Atos e da Reserva Ecológica Verdes Pastos.

Rodas de conversa ainda devem acontecer nas igrejas locais, abordando os temas presente no encontro, dessa vez contando com a participação dos homens nas discussões. 


Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio