Pular para o conteúdo principal

“A Palavra de Deus tem que ser a inspiração do compositor cristão”, declara Wilson Morais

O cantor e compositor Wilson Morais tem se destacado no ambiente cristão de Caruaru e região através do seu trabalho, que procura unir a qualidade musical com os princípios da Palavra de Deus. Nesta entrevista, ele defende que a música cristã precisa ser pautada pelos parâmetros bíblicos e compartilha um pouco da sua caminhada de fé. Confira:

Fotos: Divulgação


Você está divulgando o CD ‘No Tempo de Deus’ pelas redes sociais. Como tem sido o trabalho com o disco?
Este é meu primeiro trabalho, ‘No tempo de Deus’, que tem sido divulgado não só nas redes sociais, mas também nas igrejas. Sempre que recebo convites, tenho divulgado este trabalho, que traz a Palavra de Deus através dos louvores. O disco foi lançado em 2012, um projeto que Deus colocou no meu coração que vem dando bastante certo. Estou, também, com um projeto do segundo trabalho, que está em andamento. Espero abençoar mais vida através dos louvores, levando a Palavra de Cristo às pessoas que tanto necessitam.

Além de cantor, você é compositor. De que maneira surge a inspiração para suas músicas?
Comecei compor aos 14 anos de idade, no município de Barra de Guabiraba, interior de Pernambuco. Quando comecei minha trajetória como compositor não era convertido, fazia músicas ‘para o mundo’. Porém, mesmo não sendo evangélico, gostava muito de ler a Bíblia e minha primeira inspiração para compor foi a música ‘De todo o coração’, inspirada no Salmo 119, que está gravada em meu primeiro CD. Ou seja, minha primeira composição foi uma música gospel, antes mesmo de eu ser evangélico, e a inspiração foi a Palavra de Deus.
A Palavra de Deus tem que ser a inspiração do compositor cristão. O Espírito Santo inspirou a Palavra e todo compositor que gosta de ler a Bíblia precisa compor sobre a Bíblia. Hoje em dia, infelizmente, há muitas canções que trazem heresias. Muitos fazem músicas que, por exemplo, dizem que “Deus vai matar o inimigo para te dar vitória” – o que não existe, pois Deus não faz isso, Ele é Deus de todos – para assim fazer sucesso no meio gospel.

Quais são as músicas que mais marcam a sua história?
Antes de eu me converter, já gostava muito das canções da banda Novo Som. Houve uma transformação na minha vida através dessas canções, além de Alex Gonzaga, Grupo Logos, Álvaro Tito, que são ministérios que marcaram muito a minha trajetória nesta caminhada.

De que maneira você começou na caminhada cristã?
Minha caminhada cristã começou em 2002, em Barra de Guabiraba. Minha conversão começou no dia do meu aniversário. Minha mãe estava doente. Já estava tudo marcado para eu sair com uns colegas para beber, festejar, em um local que já estava reservado. Porém, outro colega me chamou para ir à Igreja Batista em Barra de Guabiraba. Eu fui, principalmente para pedir oração pela minha mãe, que estava doente. Deus tocou no meu coração através da pregação, que foi muito forte, e da ministração da música. Naquele momento, aceitei Jesus e tenho caminhado com Ele até agora e para sempre.
Atualmente, conversando com minha mãe sobre tudo o que passei, desde a minha infância, vejo que eu tinha tudo para dar errado, mas Deus já tinha traçado os Seus planos e hoje eu estou aqui, glorificando o nome dEle.
Depois da minha conversão, dei início ao ministério na Igreja Batista. Comecei no Ministério de Louvor da igreja, cantando lá na frente, um pouco tímido. Depois, as pessoas souberam que eu era compositor, me incentivaram a compor mais, falando que Deus tem um propósito na nossa vida. Em seguida, veio a proposta para gravar meu primeiro trabalho, pela Gravadora Revelação, do Recife. Eu aceitei a proposta. Estou agora, com o projeto do segundo trabalho, orando ao Senhor para que vidas sejam alcançadas.



Muitos criticam alguns cantores de música gospel, dizendo que há muito estrelismo e pouca teologia nas letras. Qual sua opinião sobre este assunto?
Eu não costumo muito julgar essas pessoas escolhidas de Deus, em relação à letra de música ou maneira que faz. Eu não posso aprovar nem reprovar, pois quem julga é Deus. Porém, é verdade que nos dias de hoje vemos letras de músicas que não estão de acordo com a Palavra. Porém, eu acho que o cristão deve ler a Bíblia diariamente. E, se ele for compositor, irá compor de acordo com a Palavra. O Espírito Santo vai inspirá-lo desta forma. Se a letra hoje em dia não tem Bíblia, alguma coisa está errada. Há muitas músicas hoje sendo feitas dizendo que “Deus vai matar os inimigos”. Deus não mata ninguém para dar vitória aos Seus. O cristão recebe a vitória por meio da obediência à Palavra de Deus. Quanto ao estrelismo, é verdade que existe, embora não sejam todos os cantores.

Como alguém pode adquirir seus produtos? E quem quiser marcar uma agenda para algum evento, como pode entrar em contato?
Meu primeiro CD foi lançado em 2012, mas ainda está circulando nas lojas. Aqui em Caruaru, na Discipulus, na Music Center.  Em Recife, nas lojas Sá, na Manancial. É possível adquirir também através das redes sociais, entrando em contato comigo mesmo. Continuo divulgando este trabalho porque ele vem alcançando várias pessoas, mas creio que ainda há outras pessoas que precisam ser alcançadas. O próximo trabalho também está chegando e está vindo para abençoar vidas.
Em relação à agenda, é só entrar em contato comigo através dos números (81) 9.9214..1141 e 9.8698.5472, ou, ainda, acessar o meu perfil no Facebook

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid