Pular para o conteúdo principal

“A Palavra de Deus tem que ser a inspiração do compositor cristão”, declara Wilson Morais

O cantor e compositor Wilson Morais tem se destacado no ambiente cristão de Caruaru e região através do seu trabalho, que procura unir a qualidade musical com os princípios da Palavra de Deus. Nesta entrevista, ele defende que a música cristã precisa ser pautada pelos parâmetros bíblicos e compartilha um pouco da sua caminhada de fé. Confira:

Fotos: Divulgação


Você está divulgando o CD ‘No Tempo de Deus’ pelas redes sociais. Como tem sido o trabalho com o disco?
Este é meu primeiro trabalho, ‘No tempo de Deus’, que tem sido divulgado não só nas redes sociais, mas também nas igrejas. Sempre que recebo convites, tenho divulgado este trabalho, que traz a Palavra de Deus através dos louvores. O disco foi lançado em 2012, um projeto que Deus colocou no meu coração que vem dando bastante certo. Estou, também, com um projeto do segundo trabalho, que está em andamento. Espero abençoar mais vida através dos louvores, levando a Palavra de Cristo às pessoas que tanto necessitam.

Além de cantor, você é compositor. De que maneira surge a inspiração para suas músicas?
Comecei compor aos 14 anos de idade, no município de Barra de Guabiraba, interior de Pernambuco. Quando comecei minha trajetória como compositor não era convertido, fazia músicas ‘para o mundo’. Porém, mesmo não sendo evangélico, gostava muito de ler a Bíblia e minha primeira inspiração para compor foi a música ‘De todo o coração’, inspirada no Salmo 119, que está gravada em meu primeiro CD. Ou seja, minha primeira composição foi uma música gospel, antes mesmo de eu ser evangélico, e a inspiração foi a Palavra de Deus.
A Palavra de Deus tem que ser a inspiração do compositor cristão. O Espírito Santo inspirou a Palavra e todo compositor que gosta de ler a Bíblia precisa compor sobre a Bíblia. Hoje em dia, infelizmente, há muitas canções que trazem heresias. Muitos fazem músicas que, por exemplo, dizem que “Deus vai matar o inimigo para te dar vitória” – o que não existe, pois Deus não faz isso, Ele é Deus de todos – para assim fazer sucesso no meio gospel.

Quais são as músicas que mais marcam a sua história?
Antes de eu me converter, já gostava muito das canções da banda Novo Som. Houve uma transformação na minha vida através dessas canções, além de Alex Gonzaga, Grupo Logos, Álvaro Tito, que são ministérios que marcaram muito a minha trajetória nesta caminhada.

De que maneira você começou na caminhada cristã?
Minha caminhada cristã começou em 2002, em Barra de Guabiraba. Minha conversão começou no dia do meu aniversário. Minha mãe estava doente. Já estava tudo marcado para eu sair com uns colegas para beber, festejar, em um local que já estava reservado. Porém, outro colega me chamou para ir à Igreja Batista em Barra de Guabiraba. Eu fui, principalmente para pedir oração pela minha mãe, que estava doente. Deus tocou no meu coração através da pregação, que foi muito forte, e da ministração da música. Naquele momento, aceitei Jesus e tenho caminhado com Ele até agora e para sempre.
Atualmente, conversando com minha mãe sobre tudo o que passei, desde a minha infância, vejo que eu tinha tudo para dar errado, mas Deus já tinha traçado os Seus planos e hoje eu estou aqui, glorificando o nome dEle.
Depois da minha conversão, dei início ao ministério na Igreja Batista. Comecei no Ministério de Louvor da igreja, cantando lá na frente, um pouco tímido. Depois, as pessoas souberam que eu era compositor, me incentivaram a compor mais, falando que Deus tem um propósito na nossa vida. Em seguida, veio a proposta para gravar meu primeiro trabalho, pela Gravadora Revelação, do Recife. Eu aceitei a proposta. Estou agora, com o projeto do segundo trabalho, orando ao Senhor para que vidas sejam alcançadas.



Muitos criticam alguns cantores de música gospel, dizendo que há muito estrelismo e pouca teologia nas letras. Qual sua opinião sobre este assunto?
Eu não costumo muito julgar essas pessoas escolhidas de Deus, em relação à letra de música ou maneira que faz. Eu não posso aprovar nem reprovar, pois quem julga é Deus. Porém, é verdade que nos dias de hoje vemos letras de músicas que não estão de acordo com a Palavra. Porém, eu acho que o cristão deve ler a Bíblia diariamente. E, se ele for compositor, irá compor de acordo com a Palavra. O Espírito Santo vai inspirá-lo desta forma. Se a letra hoje em dia não tem Bíblia, alguma coisa está errada. Há muitas músicas hoje sendo feitas dizendo que “Deus vai matar os inimigos”. Deus não mata ninguém para dar vitória aos Seus. O cristão recebe a vitória por meio da obediência à Palavra de Deus. Quanto ao estrelismo, é verdade que existe, embora não sejam todos os cantores.

Como alguém pode adquirir seus produtos? E quem quiser marcar uma agenda para algum evento, como pode entrar em contato?
Meu primeiro CD foi lançado em 2012, mas ainda está circulando nas lojas. Aqui em Caruaru, na Discipulus, na Music Center.  Em Recife, nas lojas Sá, na Manancial. É possível adquirir também através das redes sociais, entrando em contato comigo mesmo. Continuo divulgando este trabalho porque ele vem alcançando várias pessoas, mas creio que ainda há outras pessoas que precisam ser alcançadas. O próximo trabalho também está chegando e está vindo para abençoar vidas.
Em relação à agenda, é só entrar em contato comigo através dos números (81) 9.9214..1141 e 9.8698.5472, ou, ainda, acessar o meu perfil no Facebook

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A intolerância dos tolerantes e os confetes carnavalescos - por Amanda Rocha

A quarta-feira passou, mas as cinzas do carnaval deixaram um imensurável prejuízo, não apenas econômico graças aos diversos dias de inatividade industrial e comercial, não somente pelas grandes cifras de dinheiro público usado para distrair a população embalada por ritmos dançantes e letras chicletes ou pornográficas, enquanto hospitais e escolas funcionam em deploráveis condições. Contudo, diria mais, não unicamente pelo elevado índice de acidentes e mortes nas péssimas estradas. Pensando bem, qual o intuito em citar o elevado número de contágio de doenças sexualmente transmissíveis em relações desprotegidas durante esse período? De igual modo não se faz necessário referenciar a elevada despesa que o Sistema Único de Saúde terá por consequência do carnaval; tão pouco se faz cogente contabilizar o número de criminalidade que se eleva nesse período – assaltos, homicídios, latrocínios, tráfico; os casos de divórcios, de gravidez indesejada - que em parte culminará em abortos realizados …

Regime Militar e Movimentos Sociais, quem é o mocinho e quem é o vilão? - por Amanda Rocha

Desde a década de 70 o Brasil tem-se acrescido em números de movimentos sociais e sindicatos, suas origens datam em anos anteriores, mas sua efervescência dá-se no período de Regime Militar. Eivados da necessidade de luta de classes, esses movimentos disseminam que nasceram para combater o regime ditatorial vigente nas décadas de 60 e 70 no país, mas disfarçam o cerne de suas bases ideológicas, cuja finalidade é a imposição da ditadura do proletariado. Nascida na mente insana e nefasta de Karl Marx, essas utópicas soluções para o fim das desigualdades sociais e econômicas concretizaram-se em diversos países, e por onde passaram promoveram unicamente a igualdade da miséria. Dentre as tantas falácias que divulgam, mentem sobre a ordem dos fatos, uma vez que os movimentos não surgiram com o intuito de lutar pela democracia e findar o Regime Militar, há nessa afirmativa uma completa inversão, visto que o Regime Militar foi conclamado pela população e aprovado pelo Congresso, nessa época, …

Se o sol não brilhar, aproveite a sombra do dia nublado - por Davi Geffson

Já percebeu o quanto costumamos a reclamar? Se faz sol a gente reclama, se chove reclamamos do mesmo modo, na verdade, somos serescom anseios e desejos, mas precisamos entender que nada gira em torno de nós. É um conjunto, são vários humanos com os seus devaneios de “ser”. Achar que tudo gira em torno de nós, e por isso, deve ser do nosso jeito, é o mesmo que caminhar em uma esteira, você perderá peso, irá suar, vai se cansar, entretanto, continuará no mesmo lugar.


Tudo pode ser mais simples se ao invés de reclamarmos, impulsionarmos o sentido do “procure o que há de melhor”, em tudo iremos encontrar o lado positivo e o negativo, se assim não fosse, que chato seria. Não queremos nem muito, nem pouco, queremos balanceado, com equilíbrio, isso é o que mescla a nossa vida. Uma comida com muito sal é péssima, com pouco também, agora quando se coloca a quantidade ideal, huuuum, que delícia. Assim é a vida, nem tanto, nem pouco, mas o suficiente.
Diariamente, Deus nos concede o dia que nos fa…