Pular para o conteúdo principal

Neymar reage a críticas e desabafa nas mídias sociais

Autor do segundo gol da seleção brasileira na vitória sobre a Costa Rica, o atacante Neymar chorou ao final da partida, válida pela segunda rodada do grupo E da Copa do Mundo. Depois desabafou nas mídias sociais: "Nem todos sabem o que passei para chegar até aqui. Falar, até papagaio fala, agora fazer…". Disse que chorou de alegria, de superação e de garra. "Na minha vida as coisas nunca foram fáceis, não seria agora, né! O sonho continua, sonho não, objetivo", afirmou em sua conta no Twitter.

Jogador se posicionou através das mídias sociais.
Foto: reprodução

O craque brasileiro foi alvo de críticas após o empate com a Suíça, especialmente porque não rendeu o esperado pela torcida e pelos analistas, mas entrou em campo com um penteado novo. Com o gol marcado hoje, Neymar junta-se a Romário como o quarto maior artilheiro com a camisa da seleção brasileira. Ambos marcaram 56 gols pela seleção. O grupo é liderado por Pelé, com 95 gols marcados.

Depois do jogo, o zagueiro Thiago Silva disse que a Costa Rica mostrou qualidade e conseguiu anular as principais jogadas brasileiras, mas a seleção acreditou na vitória até o fim. "Ficamos preocupados em um momento do jogo, sim. A gente martelava, mas a bola não entrava, o gol não saía. Ficou aquele sentimento de que hoje não seria o dia, mas a gente não deixou de acreditar. Mesmo depois do pênalti anulado, a gente não deixou de querer o jogo e foi premiado quem quis mais jogar", afirmou o capitão brasileiro.
Philippe Coutinho foi eleito mais uma vez o melhor do jogo, segundo os internautas que acompanham as mídias sociais da Fifa. Artilheiro da seleção, com dois gol, Coutinho disse que o mais importante foi a vitória do time brasileiro, que agora soma quatro pontos na Copa do Mundo da Rússia. "Foi uma emoção muito grande [a vitória]. O jogo foi muito difícil. Desde o primeiro minuto tentando, buscando os chutes de fora da área. No final fomos premiados pela atuação do grupo, todo mundo correu, se dedicou e merecemos a vitória", argumentou.
Aliviado após a vitória brasileira, o atacante Gabriel Jesus destacou que os adversários têm se fechado para enfrentar a seleção. "Não está sendo fácil para ninguém. Hoje foi de parar o coração, na raça, do jeito brasileiro, mas ninguém gosta de passar essa tensão toda. Com a nossa força de vontade, espírito de vencedores, nós conseguimos. Uma hora a gente sabia que a bola ia entrar, mas não imaginava que seria aos 90 minutos", afirmou.
Gabriel Jesus pediu apoio da torcida. "O torcedor tem que apoiar acima de tudo. Crítica a gente já tem demais. A gente convive com isso em todas as profissões. Todos nós aqui sabemos do orgulho e da responsabilidade que é carregar essa camisa. Temos que apoiar mais os jogadores", disse.

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid