Pular para o conteúdo principal

Nem todos conseguem reerguer-se sozinhos – por Gisela Becker


Sair do seu cotidiano e viver em alegre comunhão durante uma semana traz novos horizontes. Ajuda a alcançar distanciamento dos problemas e, consequentemente, novas perspectivas e soluções para os mesmos. Este é o sentido da realização de retiros e acampamentos.

Nem todos conseguem vencer seus problemas sozinhos. Solteiros solitários não têm mais o ânimo que tinham quando jovens. Divorciados vivem deprimidos pois fracassou naquilo que julgavam o mais importante em suas vidas – o casamento. Viúvas e viúvos que, logo após o sepultamento do companheiro, contataram como seu status social se modificou, ou que voltaram a casar precipitadamente, sentem-se inseguros.

É comum que tais pessoas apresentem reações incomuns ou até se tornem agressivas. Nesses casos, somente podemos ajudar com mansa admoestação. Ela será capaz de participar do fardo alheio e encaminhará a correção após um erro cometido. Só um amor compreensível pode levar a resultados satisfatórios.

(...)

Oração
Pai celeste, eu te agradeço porque tu me amas. Peço-te que me mantenhas consciente disto, para eu não cair na tentação de procurar compensação para desvantagens imaginárias. Por favor, ajuda-me para que as pessoas com quem terei contato hoje sintam que são amadas por ti e por mim. Amém.



Trecho do livro ‘Lições de convivência’, de Gisela Becker, publicado pela União Feminina Missionária Batista do Brasil em 1994, tradução de Roland e Elsa Köber


Comentários

Postar um comentário


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos. A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores. Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas