Pular para o conteúdo principal

“Grande parte da população de Caruaru está arrependida por ter votado na atual gestora”, declara o Delegado Lessa em entrevista

Em entrevista ao comunicador José Augusto, Delegado Lessa
abordou assuntos locais e nacionais.
Foto: Alena Bezerra/Divulgação
Na manhã desta sexta-feira 01º, o Delegado Lessa (Progressistas) participou do programa Super Manhã, na Rádio Riacho FM (104,9), em Riacho das Almas. Durante uma hora, ele foi entrevistado pelo comunicador José Augusto. Temas relacionados à segurança pública; além de ética na política e a conjuntura local e nacional foram abordados durante a entrevista.

Ao ser indagado sobre o Pacto Pela Vida, o Delegado deixou claro que é necessário estabelecer canais de diálogo com o intuito de identificar as reais demandas da situação. “O Pacto Pela Vida foi construído a partir de uma política transversal, o que é muito importante, pois inclui as secretarias do Governo, além de instituições como a OAB e o Ministério Público, o que expande o debate. Agora, o Pacto precisa de um upgrade, identificando os vetores e operadores da segurança pública para apresentar propostas palpáveis à sociedade”, comentou.

O Delegado Lessa ainda opinou que é preciso adotar medidas como delegacias abertas à noite e implementar postos policiais avançados na área rural. Ele também defendeu a flexibilização do Estatuto do Desarmamento. “Acredito que no Brasil o homem do campo deve ter o direito de possuir arma de fogo, para proteger seu patrimônio e sua família, além de ter um maior apoio policial”, defendeu.

Durante a sabatina, o comunicador José Augusto quis saber a opinião do Delegado sobre as recentes paralisações dos caminhoneiros. “Eu acho que as manifestações foram legítimas, porém houve agentes infiltrados que prejudicaram o desenrolar das ações, inviabilizando ações essenciais da população”, pontuou.

No tocante à intervenção militar, o Delegado Lessa foi categórico. “Sou contra. Acredito que através da democracia é possível construir um país melhor, com a participação cidadã e o fortalecimento das instituições, respeitando a segurança e a soberania nacional”, disse.

Levando-se em consideração o pleito presidencial deste ano, o Delegado Lessa foi perguntado sobre a sua opinião com relação ao crescimento do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) como pré-candidato a presidente da República. “Eu tenho bandeiras que se aproximam com as bandeiras do deputado Jair Bolsonaro, mas acredito que o presidente da República precisa ter jogo de cintura e equilíbrio emocional. Não concordo com alguns posicionamentos radicais de Bolsonaro”. Lessa também ponderou que, provavelmente, nos debates que ocorrerão durante o período eleitoral, tanto Bolsonaro quanto Ciro Gomes (PDT) poderão adotar posturas que lhes desfavoreçam, devido ao temperamento “explosivo” de ambos.

No que se refere à situação hodierna do município de Caruaru, a avaliação do Delegado é que são necessárias melhorias nas mais diversas áreas. “Grande parte da população de Caruaru está arrependida por ter votado na atual gestora. A gestão é fraca e responde a mais de uma dezena de investigações no Ministério Público”, analisou o Delegado.

Indagado sobre a recente aproximação dos grupos políticos dos ex-prefeitos Zé Queiroz (PDT) e Tony Gel (MDB), Lessa foi claro: “Acredito que foi um ato de oportunismo eleitoral”. “Quando as velhas oligarquias percebem que estão perdendo força, decidem se unir. A população está querendo uma renovação política”, destacou.

Na condição de pré-candidato a deputado estadual, o Delegado Lessa deixou claro quais são suas principais bandeiras de atuação: segurança pública; combate à corrupção e defesa dos valores da família. Em 2016, Lessa obteve 41.102 votos para o cargo de prefeito de Caruaru.



Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio