Pular para o conteúdo principal

Singela Homenagem a Nelson Barbalho - por Severino Melo

Nelson Barbalho de Siqueira, nasceu em Caruaru, no dia 02 de junho de 1918, era um domingo e no próximo sábado fechar-se-á o ciclo dos cem anos de seu nascimento.

Consta que ele faleceu de um infarto fulminante, numa sexta-feira, 22 de outubro de 1993, aos 75 anos de idade.

Publicou o Jornal Vanguarda há 10 anos: "... Ele escreveu 110 livros, dos quais 56 ficaram inéditos e mais 20 volumes de diários com registro político, histórico e sociológico da vida de Caruaru e do Brasil de seu tempo. Uma herança que sua filha caçula, a pediatra Valéria 

Barbalho, luta para não deixar cair no esquecimento".
Chamar o torrão natal de "País de Caruaru" e ou "Cidade Céu", foi um trunfo de Nelson Barbalho para imortalizar a "Princesa do Agreste".

Alisou ele os bancos do Colégio Americano Batista, no Recife, no afã de concluir o curso secundário, mas não atingiu tal desiderato. Tornou-se um autodidata, fez concurso para Fiscal do IAPC (Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Comerciários), sendo um honrado "Barnabé" e escritor, inclusive correspondente de escritores e pesquisadores, entre os quais, Carlos Drummond de Andrade e Câmara Cascudo.

Foi compositor. Chegou a assinar 144 composições, ainda que, apenas oito tenham sido gravadas.

Barbalho foi aluno do Poeta Augusto Tabosa e morou um tempo no Recife na década de 30 e voltou para Caruaru para trabalhar. Trabalhou na alfaiataria do seu pai, em frente ao Mercado de Farinha e depois foi para Campina Grande / PB, pelo IAPC, EM 1942 e posteriormente foi transferido para Caruaru onde foi datilógrafo, escriturário e fiscal, função que exerceu até aposentar em 1977.

A atividade de escritor caminhava em paralelo com as funções do IAPC. O intelectual é um ser que não tem descanso. Ninguém escreveu mais sobre a história de Caruaru do que Nelson Barbalho. Grande historiador e pesquisador. Ele contou a história de Pernambuco desde 1.100, Antes de Cristo até o século 20, nas origens do homem sertanejo / agrestino.

Publicar livros sempre foi difícil e Nelson sempre quebrou cabeça com isso. Sua maior chance de editar o primeiro livro teria sido em 1957 (Centenário de Caruaru) - "Uma Cidade Faz Cem Anos" - mas, não deu certo por desentendimentos políticos e só em 1969 ele publica o seu primeiro livro: "Major Sinval" - poeta e contador de histórias.

O primeiro livro de Nelson sobre Caruaru foi lançado em 1972 - "Caruaru, Caruaru". Já " O País de Caruaru" foi publicado em 1974, falando sobre a história política da cidade. Enfim, "Caruaru, De Vila a Cidade" publicado em 1980 fala da história cronológica da "Cidade dos Avelozes Esmeraldinos".

Nelson Barbalho e José Condé nasceram em 1918, por conseguinte, este ano em curso é o do centenário de ambos e coincidentemente foi lançado um livro inédito de Barbalho pelo Instituto Histórico de Caruaru e Editora CEPE (Companhia Editora de Pernambuco), justamente, a biografia de José Condé escrita por Nelson Barbalho.

Se eu, signatário deste escrito, não fosse advogado e escritor, gostaria de ser historiador, nos moldes de Nelson Barbalho, um homem, sobretudo, paciente.




Severino Melo - smelo2006@gmail.com - fone / Whatsapp 999727818 - Cidadão Honorário de Caruaru

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Estímulo à leitura através da produção literária

Dentre os ofícios do professor, encontra-se o de conduzir os alunos ao universo das artes; ao professor de língua portuguesa, cujo objeto de estudo é a palavra, abordar a arte literária é fundante, nesse intuito, os professores da Escola de Referência em Ensino Médio Professor Lisboa, localizada no bairro da Cohab I, em Caruaru — Pernambucano promovem bimestralmente saraus literários com o foco no despertar da leitura e produção escrita de seus alunos. 



Anualmente, a escola realiza o Concurso de Redação Professora Fernanda Freitas (esse nome é homenagem póstuma a uma ex professora); o concurso elenca diversos gêneros textuais dentre literários e argumentativos; este ano, em sua quarta edição e com o tema “Pelos caminhos da leitura: descobertas do eu e do mundo” os alunos debruçar-se-ão nos gêneros: conto, crônica, dissertação-argumentativa, carta e/ou poesia.
Ademais do concurso, na manhã de premiação dos primeiros colocados em cada categoria, ocorre concomitantemente a publicação da An…