Pular para o conteúdo principal

Presidente da Convenção Batista de Pernambuco posiciona-se sobre os desafios do Brasil


Neste domingo 27, o diácono Lyncoln Araújo – presidente da Convenção Batista de Pernambuco (CBPE) – publicou um texto no qual analisa a situação do Brasil e orienta aos cristãos batistas a adotarem posturas relacionadas à Bíblia Sagrada diante do período de crise que o país está vivenciando. Confira o texto na íntegra:


Desafios do Brasil

Nestes tempos de enormes desafios que o Brasil enfrenta, peço à família Batista de Pernambuco, que reflita e adote posições à luz dos preceitos constantes nas Sagradas Escrituras e de enfrentamento as necessidades atuais do povo brasileiro como:

1. Manter o espírito de pacificadores, conforme ensinamento de Jesus no sermão do Monte – Mateus 5:9.

2. Intensificar as orações em favor do povo brasileiro em geral. A oração do justo, cremos, pode muito em seus efeitos.

3. Entender que de certa forma, as manifestações que ocorrem no país representam, de alguma maneira, a profunda indignação da população com os graves desmandos praticados por aqueles que governam de forma tão danosa o Brasil. 

4. Refletir, que de alguma maneira, o que ocorre em nosso Brasil é resultante também da omissão profética de nossas Igrejas em nossos dias.

5. Pensar nas inúmeras oportunidades que Deus tem nos concedido e que nem sempre aproveitamos, para fazer conhecido o evangelho redentor, representado nos ensinamentos, vida e ministério de Jesus.

6. Refletir neste domingo, em nossas comunidades, a necessidade de uma pacífica, porém firme participação da família Batista nos espaços onde tem influência, contribuindo dessa forma na mudança deste cenário que atenta contra os céus. 

7. Despertar a todo o povo a exercer com intensidade sua cidadania, em todas as oportunidades, com especial atenção às eleições que acontecerão no país, no início de outubro próximo, através de voto responsável elegendo aqueles que tenham trajetória de vida que comprovem compromissos com os legítimos interesses da Brasil.

8. Esperar firmes no Senhor, aquietando os corações, pois em fazendo nossa parte, Deus sempre se fará presente.


Dc. Lyncoln Araújo é presidente da Convenção Batista de Pernambuco (CBPE)

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos. A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados. Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocup