Pular para o conteúdo principal

Evangélicos montam força-tarefa para ajudar refugiados venezuelanos no Brasil


A Missão Batista Brasil Venezuela foi inaugurada na segunda-feira (07/05). Trata-se de uma ação emergencial para levar suprimentos e atendimento médico aos refugiados venezuelanos que se encontram no Brasil. O projeto é desenvolvido pela Junta de Missões Nacionais (JMN), em parceria com a Junta de Missões Mundiais, a Convenção Batista de Roraima e com a Convenção Batista Brasileira.

Para continuar desenvolvendo o trabalho, a equipe precisa de voluntários da área da saúde, para a evangelização e também de recursos financeiros para a aquisição de medicamentos e donativos.

A situação dos venezuelanos aqui é dramática, de partir o coração. Estão passando muitas necessidades, inclusive fome, e as igrejas aqui não estão dando conta da demanda. É pior do que se imagina e estamos com uma força tarefa para ajudá-los. Estas pessoas estão passando por dificuldades, mas não perderam a esperança. Elas precisam de nossas orações e de nossa ajuda”, exclama o diretor-executivo da JMN, pastor Fernando Brandão.

Grupo se dispôs a auxiliar os egressos do país vizinho. Foto: Divulgação



A Venezuela tem enfrentado, desde 2016, uma crise econômica e social sem precedentes. Problemas no abastecimento de alimentos, um colapso nos serviços públicos e uma inflação de 700% tem levado milhares de venezuelanos a buscarem refúgio em outros países, sendo o Brasil o principal. Desde que essa evasão começou, a população de Boa Vista, capital do estado de Roraima, cresceu mais de 10% só com a chegada de egressos do país vizinho.



COMO AJUDAR

Quem desejar ser voluntário, pode inscrever-se através do e-mail voluntarios@jmm.org.br.

As contribuições financeiras podem ser enviadas para a conta abaixo:

Banco Bradesco
Ag. 0226 / Conta Corrente 139500-9
Junta de Missões Nacionais da CBB
CNPJ: 33.574.617/0001-70

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid