Pular para o conteúdo principal

Caruaru: uma cidade de adoradores


Que Caruaru é detentora do codinome de ‘Capital do Forró’ não é novidade nenhuma. Entretanto, o que parece é que esse título poderá perder espaço para o epíteto de ‘Capital do Louvor’. Isso porque a chamada música gospel está em evidência no município. São inúmeros cantores, compositores e bandas adeptas a esse segmento, que tem formado grandes nomes no cenário religioso. Conheça, nesta matéria, uma parcela deles.

Família de Marquinhos do Valle também possui vocação missionária.
Foto: Divulgação


Entre os cantores com uma bagagem histórica de produção musical na cidade, o nome de Marquinhos do Valle é uma referência, sendo conhecido até mesmo por um público que não é costumeiramente consumidor de canções evangélicas. Ele contabiliza mais de cem composições, em ritmos que transitam do forró tradicional ao pop music, passando pelos mais variados estilos musicais. Para ele, a melodia é um caminho de expressão de ideias e anseios. Os acordes se unem à letra, formando um todo reflexivo. De acordo com Marquinhos, os versos, as melodias e os arranjos surgem espontaneamente. “Eu considero esse meu dom como um presente de Deus”, salienta.

Ele costuma se apresentar ladeado da esposa, Edvania, e das filhas, Mayara e Mayana. As duas podem ser consideradas uma extensão do talento do pai. Para se ter uma ideia, Mayara toca contrabaixo, violão e bateria. Além disso, ela também compõe músicas. A primeira letra que escreveu foi aos 7 anos de idade. O timbre vocal de Renata Mayara é o contralto, caracterizado por ser vigoroso. Já a voz de Mayana Raquel é um soprano, isto é, o mais agudo dos registros femininos.

O cantor Erasmo Miguel também é uma referência, conhecido por ser um ‘forrozeiro gospel’. Inclusive, ele já gravou canções de grande conhecimento no ambiente religioso, e até mesmo músicas católicas, como ‘Oração pela Família’ e ‘Utopia’, de autoria do Padre Zezinho. “O meu desejo, assim como o dos outros cantores, é de levar uma mensagem de paz e de esperança para as pessoas, através da música. Fazer algo dessa natureza é uma honra”, relata Miguel, opinando que acredita que o evento ficará marcado na história da cidade.

Já o cantor Dhiego Nunes é um destaque da nova prole de cantores gospel. Ele gravou CDs como ‘Agindo Deus quem impedirá’ (2010) e ‘Teu perdão’ (2011) e chegou a se apresentar em diversos eventos, inclusive no palco gospel do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). Além de cantor, Dhiego é também compositor. Músicas como ‘Amo Você’, ‘Meu clamor’ e ‘Minha canção’ figuram entre as mais ouvidas nas rádios evangélicas da cidade. “Sou um adorador que vive experiências radicais e que ama a Deus acima de todas as coisas”, define-se.

Além destes, evidentemente, há uma grande quantidade de cantores que atuam nas igrejas locais, distantes da mídia, mas avançando no talento a eles confiado por Deus. E, ainda, há os que adoram ao Senhor, contudo não estão inseridos no ambiente musical.

O pastor Samuel Couto explica que adorar a Deus não é um estilo de música, mas um estilo de vida cuja decisão brota do íntimo da alma de cada pessoa. “Adoração é uma resposta dada ao constante amor de Deus por nós. Esse amor deve ser incondicional, tal como foi o amor de Abraão para com Deus, dispondo-se entregar, em um sacrifício, o seu próprio filho. Foi, assim, da mesma forma e com a mesma intensidade de amor para conosco, que Deus deu ao seu próprio Filho para nos substituir no holocausto da cruz”, conclui.

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos. A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores. Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas